Dj Gildo MuSic

Pesquisar

sexta-feira, 16 de junho de 2017

O que é D.A.W ? Mais Conhecido como Digital Work Station

Digital Audio Workstation (ou, de forma abreviada, DAW) — em português: "estação de trabalho de áudio digital" — é um sequenciador que tem a finalidade de gravar, editar e tocar áudio digital. Originalmente, os DAWs eram máquinas que não faziam uso de fita magnética para tratar áudio, sendo baseadas em microprocessadores, como o Synclavier. DAWs modernos evoluíram para o formato de softwares rodando em computadores com interfaces de áudio.

O Meu Preferido que utilizo muito nas minhas Criações,Produções Edit e Remixes etc. é o Ableton Live e que já esta na sua versão 9.7.2. Que na minha opinião é o melhor, é claro de acordo com minha facilidade e forma de trabalho, aquela questão de se identificar e de se tirar o melhor com a ferramenta que tem em mãos. 

Descrição:

Ableton Live – um software exclusivo para criar música eletrônica. Ableton Live é ótimo para Produtores Musicais e  DJs, Excelente para trabalho de estúdio para criação música em tempo real e Live P.A. O software contém uma série de ferramentas úteis para criar composições musicais, como um sintetizador, sampler, bateria eletrônica, bateria acústica etc. Ableton suporta ASIO, Core Audio, VST, Audio Units, e também tem algumas ferramentas próprias e o conjunto necessário de efeitos de áudio. O software inclui painéis que dão informações adicionais sobre a composição, descrevem em detalhe as alterações nos sinais e dicas que ajudam a alcançar os melhores resultados.

Principais características:

  • Um grande conjunto de instrumentos musicais
  • Mistura automática
  • A presença de diferentes sons
  • Outros built-in de áudio e efeitos MIDI
  • Criação de faixas em tempo real

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Recomendo: Livro MiDi Total by Miguel Ratton


O Midi Total, de Miguel Ratton é um atalho dos conceitos e das técnicas que fazem parte do universo da música contemporânea, ao detalhar as questões primordiais da utilização da tecnologia e dos equipamentos MIDI que são, atualmente, ferramentas para criação e para o registro de nossas ideias musicais.

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Qual a Diferença Entre Re-Edits, Mashups, Remixes e Bootlegs ?


Re-edits

re-edit é uma versão modificada de uma música já produzida, criado a partir da repetição, reordenação, ou remoção de trechos da música original. Os primeiros re-edits foram feitos com fitas de rolo (cortado com Gillete e colado com fita adesiva) e demoravam horas para ficarem prontos (quando dava certo). Atualmente existem softwares que facilitam, e muito, esse trabalho.
Mashups
Os mashups são criados a partir da mistura de duas ou mais músicas, normalmente utiliza-se a transposição do vocal de uma música em cima do instrumental de outra, de forma a se combinarem.
Já que os mashups são modificações de conteúdos originais, eles podem encontrar proteção de reivindicações de direitos autorais, portanto é recomendável não utilizá-los para questões comerciais, como venda, por exemplo.
Remixes
No caso do Remix, o DJ ou o Produtor musical recebe um pack de arquivos com camadas separadas da música (Bateria, Synth´s, Bass, Vocal), e utiliza esses samples para criar uma nova versão da música original. Apesar da maioria das músicas remixadas serem em versão dançante, o remix não precisa ser, necessariamente, assim. Existem remixes onde o andamento da música não é alterado, ficando na forma original e não em uma versão dançante. Este tipo de Remix foi muito famoso nos anos 1980 e é uma alternativa nova para proporcionar outros tipos de músicas de acordo com a evolução musical do público.
Bootlegs
Bootlegs são "remixes não oficiais", ou seja, que não receberam autorização dos artistas que criaram a música original para ser lançado e por isso, também não pode ser comercializado.
Também se costumar intitular de bootlegs músicas construídas a partir de uma faixa de outro estilo. Por exemplo, transformar uma música sertaneja em reggae.
Resumindo, na minha humilde opinião todas essas formas considero Remix . Só acharam uma forma  bunitinha pra descvrever e dar nomes aos Bois kkk

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Eu Recomendo: Livro CIBERCULTURA

O que é a cibercultura? Que movimento social e cultural encontra-se oculto por trás deste fenômeno técnico? Podemos falar de uma nova relação com o saber? Quais são as mutações que a cibercultura gera na educação e na formação? Quais são as novas formas artísticas relacionadas aos computadores e às redes? Como o desenvolvimento do ciberespaço afeta o espaço urbano e a organização do território? Quais são as implicações culturais das novas tecnologias? Da digitalização à navegação, passando pela memória, pela programação, pelo software, a realidade virtual, a multimídia, a interatividade, o correio eletrônico, etc, este livro apresenta as novas tecnologias, seu uso e suas questões.

domingo, 21 de maio de 2017

Eu Recomendo: Série Hip-Hop Evolution

A série documental, que está dividida em quatro partes, é realizada por Darby Wheeler e escrita por Rodrigo Bascuñán.
Guiada por Shad, rapper canadiano, a narrativa desenrola-se pelos 20 primeiros anos da cultura hip hop e vai ao encontro de Kool Herc, Afrika Bambaataa, Grandmaster Flash, Melle Mel, LL Cool J, Ice Cube, Ice T, Chuck D, MC Eiht, DJ Yella e Run-D.M.C para uma série de entrevistas que criam um retrato fidedigno do género que vai cimentando cada vez mais o seu espaço no topo. Com recurso a incríveis imagens de época e com uma montagem inteligente, esta é uma série de enorme qualidade altamente recomendada pelo ReB.
Originalmente inserida na programação da HBO, Hip-Hop Evolution agora também pode ser visto na plataforma Netflix, seguindo este link.

Setlist Sente o Grave Vol. #03 By Dj Gildo


quarta-feira, 17 de maio de 2017

Eu Recomendo: Documentario Independent Lens Copyright Criminals


Lançado nos Estados Unidos em 2009 no canal público PBS, "Copyright Criminals" é um documentário que destrincha uma técnica cada vez mais conhecida nestes tempos: o sampling, que poderia ser resumidamente explicado como o "ato de usar um trecho de uma produção como parte de uma produção própria". Uma técnica que tem origem no início dos anos 1960, nas experimentações caseiras de malucos como William Burroughs e Brion Gysin, e entra na década seguinte como um dos elementos centrais do hip-hop, de onde desde então costuma ser mais associado.
O documentário trata dos mais diversos aspectos da técnica, partindo dessa época de nascimento do hip hop, nos bairros negros da Nova York da década de 1970, chegando até a indústria milionária do rap deste anos 2000 (inclusive, como ilustração, há uma timeline do sampling feito pela produção do filme e disponibilizada no site da emissora PBS).


Youtube Channel: ozzilost